Contemar Ambiental - noticia contentores de lixo de sp sao feitos em sorocaba

Contentores de lixo de SP são feitos em Sorocaba.

17/02/2012

Até o mês de abril, a cidade de São Paulo receberá 55 mil lixeiras, 500 contentores de mil litros para material orgânico e outras 750 unidades do Ecolix, um contêiner de 2,5 mil litros destinado especialmente à coleta seletiva, todos fabricados em Sorocaba. A produção desses equipamentos está sendo feita pela empresa Contemar Ambiental, fabricante e importadora de lixeiras e outros tipos de contêineres para diversos resíduos.

A empresa emprega 60 pessoas e trabalha ainda com a prestação de serviços fazendo a coleta e esterilização de lixo hospitalar, locação, manutenção e higienização periódicas de contêineres públicos.

Toda a produção das peças é terceirizada. Em Sorocaba ficam a linha de montagem, a área comercial e de desenvolvimento dos projetos. O fornecimento de produtos para a limpeza pública e coleta de recicláveis na Capital paulista acontece por meio do consórcio São Paulo Ambiental, que foi um dos vencedores da licitação feita para a realização de serviços e fornecimento de produtos para a limpeza pública. O consórcio Soma foi outro ganhador da licitação.

O presidente da Contemar Ambiental, Fernando Martinez, destaca que algumas negociações estão sendo feitas com esse outro grupo de vencedores da licitação. Caso o negócio seja fechado, diz ele, o volume de produtos a serem entregues pode até dobrar.

Martinez explica que as lixeiras ficarão afixadas em vias públicas para o descarte de lixo. “São aquelas que ficam em ponto de ônibus, presas a postes de iluminação pública”, comenta ele. Já os contentores para resíduos orgânicos devem ser colocados em feiras livres e são especialmente desenvolvidos para isso. A grande novidade, ressalta o empresário, são os contêineres Ecolix. Com cerca de 120 quilos cada, o produto é destinado à coleta seletiva podendo armazenar apenas o chamado lixo seco, ou seja, materiais recicláveis como papéis, plásticos, metais, entre outros.

À prova de furto.

Pensando nas cooperativas de reciclagem, esses contêineres foram desenvolvidos para dificultar o furto de materiais depositados em seu interior. Martinez explica que a ideia é evitar que coletores autônomos peguem apenas os materiais mais valiosos deixando os produtos com menor valor venal para as cooperativas de reciclagem. “Acredito que eles serão colocados em locais de grande circulação como parques, escolas e bombeiros”, ponderou Martinez.

A dificuldade para a retirada do material está na forma como o contêiner é fabricado. Martinez explica que o compartimento é esvaziado por baixo. Para tanto, é necessário que ele seja suspenso por um caminhão munck. Além disso, a altura da abertura por onde é feito o depósito impossibilita que uma pessoa possa mexer em seu interior. A capacidade desses contêineres é de 2,5 mil litros.

O projeto de desenvolvimento desse contêiner levou mais de um ano. O produto já foi vendido para outros municípios. A capacidade de produção atual é para 200 unidades por mês. “Estamos procurando novos mercados”, revela o empresário. Martinez revela que inclusive a prefeitura de Sorocaba já foi procurada para conhecer este modelo de contêiner.

Prestação de serviços.

No campo da prestação de serviços, a empresa trabalha com a remoção e tratamento de esterilização de resíduos hospitalares, além da locação, manutenção e lavagem periódica de contêineres públicos. Esse último, diz Martinez, é prestado para prefeituras e a empresa está presente em cerca de 10 municípios. Em Sorocaba, diz ele, a empresa não pode participar de licitações para prestar esse serviço pois a concorrência engloba também a coleta de lixo.

Jornal Cruzeiro do Sul.

Mais informações clique aqui: www.contemar.com.br/contato.php